Santuário Nossa Senhora da Piedade

Santuário

Nossa Senhora da Piedade

Arquidiocese de Sant'Anna de Botucatu - Lençóis Paulista SP

Setor Juventude envia carta aos párocos e jovens da Arquidiocese

Setor Juventude envia carta aos párocos e jovens da Arquidiocese

O Setor Juventude de nossa Arquidiocese, dando continuidade ao trabalho de implantação e desenvolvimento do Setor Juventude nas paróquias, enviou uma Carta aos Párocos, coordenadores juvenis e aos demais jovens de nossas comunidades, convocando-os a eleição das coordenações dos Setores da juventude nas respectivas paróquias, bem como a responderem um questionário para que possa conhecer as diversas expressões jovens de nossa Arquidiocese.

VEJA A CARTA NA ÍNTEGRA:

CARTA AOS PÁROCOS E COORDENADORES DOS SETORES PAROQUIAIS

Reverendíssimos Párocos, estimados coordenadores juvenis e prezada juventude

1. O Santo Padre convocou para outubro próximo o Sínodo dos Bispos sobre o tema “Os jovens,
a fé e o discernimento”. Assim, percebemos a intenção do Santo Padre em colocar a juventude
no centro das reflexões da Igreja. Podemos enumerar três finalidades para este Sínodo,
apontadas pelo Romano Pontífice: 1. Cuidar dos jovens como tarefa fundamental da Igreja; 2.
O rejuvenescimento do rosto da Igreja com a presença e a palavra dos jovens na Igreja; 3.
Acompanhar os jovens em seu caminho de discernimento vocacional nesta mudança de épocas,
procurando novos caminhos, percorrendo-os com audácia.

2. Neste sentido, o Setor Juventude de nossa Igreja Particular, visando colaborar com a
pluralidade de pastorais, grupos, movimentos e serviços que existem em nossa Arquidiocese
para que trabalhem em conjunto, visando ainda o bem e a evangelização de nossa juventude em
todas as suas expressões, para que assim tornem-se sujeitos e protagonistas, contribuindo com
a ação de toda Igreja, especialmente na evangelização de outros jovens, pretende ser espaço de escuta, articulação, partilha e instrumento que contribua com a Evangelização de nossa juventude.

3. Neste trabalho, estamos cientes, conforme constatou o Papa Francisco, em sua Exortação
Apostólica Evangelii Gaudium, a pastoral juvenil, como estávamos habituados a desenvolvêla,
sofreu o impacto das mudanças sociais. Neste contexto, continua o Romano Pontífice, existe:
“A proliferação e o crescimento de associações e movimentos predominantemente juvenis
podem ser interpretados como uma ação do Espírito que abre caminhos novos em sintonia com
as suas expectativas e a busca de espiritualidade profunda e dum sentido mais concreto de
pertença. Todavia é necessário tornar mais estável a participação destas agregações no âmbito
da pastoral de conjunto da Igreja.”

4.Neste caminho de integração da nossa juventude, o discernimento é o instrumento pastoral
capaz de identificar as estradas possíveis a serem propostas à nossa juventude, e ainda mais,
pode oferecer orientações e sugestões que sejam fruto que permita seguir o Espírito. O segundo
instrumento é escutar nossa juventude, pois conhecer a juventude é condição prévia para
evangelizá-los. Assim, a Igreja no Brasil, por meio documento, Evangelização da juventude:
desafios e perspectivas pastorais, afirma: “Não se pode amar nem evangelizar a quem não se
conhece. Por esse motivo, iniciamos com alguns elementos das realidades juvenis, buscando
conhecer a geração de jovens cuja evangelização se apresenta como um dos grandes desafios
da Igreja neste início do século XXI. É necessário ter em conta a variedade de comportamentos
e situações da juventude hoje e a dificuldade de delinear um único perfil da mesma no mundo
e no Brasil.”

5. Desta forma, queremos escutar a juventude de nossas comunidades, primeiramente
conhecendo os seus rostos, suas diversas manifestações e contribuições nas Paróquia.
Inspirados pelo Instrumento laboris que será utilizado no Sínodo, buscaremos estruturar este
caminho no processo de discernimento, descrito na Evangelii gaudium 51: reconhecer,
interpretar, escolher. As partes não são, portanto, independentes, mas constituem um percurso.

6. Precisamos também para este processo que cada Paróquia tenha seu coordenador do Setor
Paroquial. Este tem como missão articular as pastorais juvenis existentes na Paróquia; convocar
as reuniões paroquiais para discussão, programação de atividades que podem ser realizadas em
conjunto entre os jovens; comunicar e incentivar a participação dos jovens em atividade
regionais ou arquidiocesanas; e, quando convocado, participar das reuniões regionais e
arquidiocesanas. No intuito de colaborar com o Coordenador, caso julgue necessário, o pároco
ou o próprio coordenador eleito, pode nomear um secretário. Pedimos que o Pároco, vendo sua
realidade paroquial, procure um jovem para a Coordenação do Setor Juventude Paroquial, pode
também reconduzir o Coordenador do Setor Juventude para mais um mandato, ou ainda pedir
que os jovens reunidos elejam um nome para Coordenar o Setor. Esse nome deverá ser
apresentado no DNJ, no dia 21 de outubro na cidade de Avaré.

7. Enfim, diante da realidade complexa, diversa e desafiadora da juventude somos chamados,
inspirados em Jesus, a ter um amor incondicional por todos e a propor aos nossos jovens que,
no desejo de vida eterna, nos procuram (Mt 19,16), seguindo a resposta que o Senhor dá aos
seus primeiros discípulos: “Vinde e vede”(Jo 1,38-39), conduzindo-os a um caminho de
discipulado de Cristo.

Lençóis Paulista, 03 de setembro de 2018
Memória de São Gregório Magno, Papa e Doutor

Pe Rafael Antonio Paixão Soares
Assessor Arquidiocesano do Setor Juventude

Fabiano Ribeiro Maranho
Coordenador Arquidiocesano do Setor Juventude


1 INSTRUMENTO LABORIS 1
2 Doc. 85. Evangelização da juventude: desafios e perspectivas pastorais,
3 EXORTAÇÃO APOSTÓLICA EVANGELII GAUDIUM: SOBRE O ANÚNCIO DO EVANGELHO NO MUNDO ATUAL
4 Documento 85 . Evangelização da juventude: desafios e perspectivas pastorais.
5 Instrumento Laboris 3

http://arquidiocesebotucatu.org.br

Deixe um comentário